Compartilhe:

Com o final de ano se aproximando começamos a planejar além das tradicionais festas, os objetivos para o ano vindouro. Novos sonhos, novos objetivos e ambições e isso é muito positivo.

O desejo de atingir novos patamares e condições, faz com que possamos desenvolver atitudes realmente transformadoras. Alguns objetivos são focados em realizações pessoais, como aprender um instrumento musical,  um novo idioma, conhecer um determinado país, planejar um  casamento. Outras, são voltadas para realizações  profissionais, como abrir um novo negócio, realizar uma transição de carreira, ser promovido. Enfim, para atingir um determinado objetivo, duas coisas são primordiais: saber exatamente o que se quer e conhecer os passos para chegar lá. 


A definição destas duas etapas constituem as bases de um planejamento estratégico, que determinará o conjunto de ações a serem tomadas para que o projeto tenha coerência e sustentabilidade, isto é, que de fato ele aconteça.


Desta forma, ter a visualização correta de nosso objetivo, é fundamental para analisar o processo como um todo, realizando os ajustes necessários que cada etapa solicita.


Há diferentes maneiras de elaborar este plano de ação. Neste post gostaria de apresentar um dos modelos mais  conhecidos na atualidade:  o Business Model Canvas desenvolvido por Alexander Ostewalder. Trata-se de  um mapa visual pré-formatado contendo nove blocos do modelo de negócios, que vocês podem visualizar neste link 1.


  Baseado neste modelo, O SEBRAE desenvolveu um quadro semelhante que descreve o modelo de negócios proposto por Ostewalder, traduzido para a língua portuguesa:






É possível obter o detalhamento de cada estágio do modelo entrando em contato com o SEBRAE pelo telefone disponível no site da empresa. Há ainda a possibilidade de acessar e baixar gratuitamente aplicativos no celular ou tablet e obter a ferramenta.


O ideal é ter um quadro  com os campos descritos acimas e adapta-los para o seu objetivo ou modelo de negócio. O importante é utilizar papeizinhos autocolantes para cada item , que permitem a correção ou aprimoramento de cada etapa, sem que você precise escrever diretamente no quadro. 


O preenchimento  pode ser iniciado por qualquer campo e é recomendável usar diferentes cores de papel e canetas, o que facilita o agrupamento de etapas que se complementam ou se relacionam, permitindo uma visualização sistêmica, clara e concisa.


Após estas dicas, é possível até mesmo customizar o quadro baseado no seu objetivo e adapta-lo a sua real necessidade. O uso do quadro permite ainda a co-criação, isto é, permite que o trabalho seja feito por mais de uma pessoa e o uso de desenhos,  quando houver dificuldade de concretizar uma idéia porque ela parece ainda pouco definida.


O modelo permite a atualização constante para a validação ou registro de hipótese e reflexões, é possível ainda deixar algumas etapas em branco ou ter mais de uma opção para solucionar cada uma das proposições do modelo. Vale tudo para tornar o modelo ideal para a sua necessidade! os campos agrupam-se da seguinte forma:

  •  Proposta de Valor, aqui descreve-se o que eu pretendo fazer, qual o meu objetivo e o que me diferencia dos demais.  No caso de um negócio vale a pergunta: O que eu farei de diferente dos meus concorrentes? 
  • Depois, para quem vou fazer? A resposta pode ser para voce mesmo, para meus amigos, no caso de uma festa ou uma viagem ou ainda para um determinado segmento de clientes, um nicho de mercado.
  • Como vou fazer? Aqui descrevemos quais serão as formas de disponibilizar o negócio aos clientes definindo canais  e recursos. Aqui os recursos são entendidos como a estrutura física e também econômica para atingir o objetivo, e os canais são descritos como os parceiros envolvidos na empreitada,(distribuidores, vendas diretas, financiamento bancário, recursos próprios, empréstimo).
  • Quanto custará? Aí é a hora de determinar de que forma obter a receita desejada e  como será a estrutura de custos para viabilizar o “business”. Entram ainda, todas as despesas fixas, variáveis, comissões e outras. É hora de pensar por exemplo, se naquela viagem sonhada quanto da verba será destinada a para cada despesa e no caso de uma empresa, a necessidade real de um capital de giro para suportar os prazos concedidos a clientes.

É claro que o modelo não substituí um Plano de Negócios , que leva em consideração cada item de modo muito mais detalhado e aprofundado, determinando a viabilidade e a rentabilidade do negocio. Porém o que gostaria de salientar neste post, é que ao tornar um objetivo palpável, temos o primeiro passo para torná-lo concreto.


Fontes de Consulta:


http://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae
http://pt.wikipedia.org/wiki/Business_Model_Canvas


Compartilhe: