Compartilhe:

O conceito de qualidade tão almejado pelas  empresas,  pode ser entendido sobre aspectos como,  ter um produto diferenciado , ter processos  tão estruturados que são capazes de  potencializar resultados com economia de esforços,  ou um serviço altamente eficiente,  conferindo a empresa uma  vantagem competitiva em relação a sua concorrência.

Dentre os três aspectos citados, podemos compreender que o serviço é algo muito mais difícil de ser copiado. O motivo é que apesar da padronização que ocorre nos processos a serem executados por colaboradores na organização, para o correto desempenho de suas atividade ou na manufatura de um produto, cada indivíduo é capaz de imprimir sua marca pessoal em seu trabalho, o tornando único e original.

Esta é a razão para que há muito tempo, o capital humano é considerado como o ativo mais importante de uma empresa. Em resumo, temos aquela famosa frase que diz:  “Aquilo que fazemos  qualquer um pode fazer, mas aquilo que somos ninguém mais pode ser”.

Está aí a importância de se gostar daquilo que se faz, para que dessa forma seja possível fazer bem feito. O trabalho é a forma que temos de deixarmos a nossa marca no mundo, de obter a realização pessoal ou pelo menos de ser  um meio de  obter recursos para outras realizações.

É claro que uma grande parte da  população não está exatamente em ofícios que podem ser considerados como o “emprego dos sonhos”, porém mesmo em casos como este é necessário encontrar uma finalidade ou um objetivo para continuar desempenhando seu trabalho da melhor maneira possível.

Não há nada mais frustrante para um colaborador e para uma empresa do que um funcionário ativamente desengajado, que são aquelas pessoas que não só não se identificam com a organização, “não vestem a camisa”, como ainda falam mal da mesma dentro e fora da instituição.

Esta situação traz desvantagem para ambos. A empresa perde muito por ter um funcionário “burocrático” que desempenha estritamente suas funções, sem qualquer criatividade, contribuindo muito pouco para o seu crescimento. O colaborador por sua vez, trabalha desmotivado, não contribui com os colegas e também pouco aprende, pois pouco troca com a empresa.

Permanecer nesta situação, traz mais consequências negativas, como aumento do turnover, diminuição de resultados, estresse na equipe, problemas de relacionamento, entre outros.

Para mudar este quadro é necessário que a empresa tenha: clareza de seu propósito, comunicação objetiva com colaboradores, programa de treinamento contínuo e remuneração adequada, para que o colaborador sinta-se estimulado e reconhecido como parte fundamental do sucesso da empresa.

Nós enquanto funcionários ou colaboradores, devemos também ter clareza de nossos objetivos, engajamento e principalmente consciência de que se estamos abrindo mão de algo tão precioso como o nosso tempo, temos a obrigação de gastá-lo da melhor forma  especialmente para nós mesmos.

Logo, procure fazer sempre aquilo gosta, e se isto não for totalmente possível, busque encontrar  a sua motivação em outras razões, seja  pelo cliente que será beneficiado por  seu esforço, seja pelos momentos de prazer  que você terá ao lado das pessoas que gosta.

Lembre-se que seu trabalho deve ser motivo de orgulho, principalmente porque é você que o faz, de um modo totalmente particular e portanto tão especial.  Assim suas atitudes  dentro e fora da empresa, traduzem exatamente o tipo de pessoa e de  profissional que você é. Desta forma, termino este post  com a pergunta do início: “Antes de vestir a camisa de qualquer empresa, qual   mensagem  está escrita em sua camisa?”


Compartilhe: