Compartilhe:

Atualmente, as empresas falam da necessidade de inovação constante,  especialmente com os avanços tecnológicos recentes  e com a necessidade de respostas cada vez mais rápidas na ânsia de atender as demandas   da sociedade atual.

Mas , o que de fato se entende por inovação? A palavra passou a designar a melhora da experiencia do usuário, através do improvement de soluções cada vez mais assertivas, com o objetivo de trazer soluções, de forma mais rápidas e  sustentáveis.

Ora, isso também pode ser definido por empatia, certo? Assim como inovação, a palavra empatia hoje também tem sido utilizada em larga escala. Mas será que sabemos exatamente o significado de empatia?

Voce leitor, talvez diga que a empatia é fazer para o outro aquilo que gostaríamos que fizessem por nós. Mas será que essa definição de empatia é 100% adequada?

Para entender melhor esse conceito, que tal pensarmos assim:  Que  riscos corremos, quando fazemos para os outros exatamente  aquilo que gostaríamos que fizessem para nós? A resposta está no fato de que ao colocarmos o  nosso repertório pessoal para o  outro, podemos errar na nossa avaliação sobre o que essa pessoa de fato gostaria de receber. É o caso quando aconselhamos alguém a fazer algo, que faríamos se estivéssemos em seu lugar, mas o fato é, nós não estamos e dessa forma, podemos falhar miseravelmente ao sugerir algo para alguém a partir da nossa perspectiva.

A resposta mais adequada a pergunta o que é empatia seria: A capacidade de compreender a perspectiva do outro e assim fornecer a solução para sua necessidade.

Ora! isso também pode ser traduzido como inovação. A inovação tem em seu significado o conceito de novo, de novidade, o que nos remete a ideia de inovação tecnológica, porém o conceito de inovação deve ser encarado dentro da perspectiva de quem importa: o outro.

Nesse ponto, os conceitos de inovação e empatia, estão cada vez mais alinhados em ofertar soluções que sejam relevantes para  o nosso cliente ou público alvo.

Na minha profissão, a inovação foi fundamental para a continuidade do negócio, mesmo com o isolamento social necessário devido a pandemia do corona vírus: os atendimentos presenciais passaram a ser exclusivamente online.

Como sanar a necessidade de atuar junto com o cliente em sessões de Coaching , onde a interação é extremamente necessária? Minha solução foi procurar uma plataforma onde o compartilhamento de tela fosse um recurso presente e ferramentas interativas onde eu e o  cliente pudêssemos  fazer nossas  contribuições em tempo real. Essas pequenas inovações, tronam a sessão mais completa e ofertam uma solução que substitui de forma adequada a falta da interação real.

A ideia é que a inovação pode existir através  de soluções simples ou sofisticadas, dependendo do nível de necessidade que seu público demanda.

Minha provocação aqui é que você passe a considerar a inovação e a empatia,  como uma possibilidade em seu negócio e em sua vida. A inovação não necessariamente tem a ver com mudanças caras , ou com soluções  mirabolantes que só podem ser colocadas em prática por empresas que dominam o mercado tecnológico ou que possuem muitos recursos para esse fim.

Ao contrário, ofertar serviços de qualidade, atender em horários alterativos, enviar materiais adicionais, por exemplo,  são soluções simples que focam na empatia e no relacionamento com o cliente.

E a inovação em casa, voce já pensou? Que tal criar mais momentos a dois, como o momento cozinha em casa, momento fazendo arte com os filhos ou descobrindo um novo hobbie que aumente seu bem estar?

O céu é o limite para sua criatividade e inovação !

Espero que esse post te inspire a realizar pequenas inovações diárias, seja em seu trabalho ou sem sua vida pessoal, sempre com o objetivo de trazer a empatia como foco. Os resultados serão surpreendentes tanto para você, quanto para as pessoas a sua volta.

Aguardo seu comentar aqui para contar sobre suas inovações diárias! Um beijo grande!

Letícia Rodrigues

 


Compartilhe: