O que voce tem feito pela sua felicidade? 10 perguntas poderosas para voce ser mais feliz

O que voce tem feito pela sua felicidade? 10 perguntas poderosas para voce ser mais feliz

Quais são seus sentimentos em relação ao seu trabalho e a sua vida pessoal? Voce se considera feliz?
Voce se sente motivado, ou desmotivado? Como anda a sua energia pessoal para executar as  atividades
do seu dia a dia?

A energia pessoal é responsável por mobilizar nossos esforços em direção a um objetivo seja ele  pessoal ou profissional. Saber em que zonas de energia estamos operando propicia a possibilidade de realizar ações corretivas para aumentar nosso engajamento e performance.

As zonas de energia podem ser divididas em :

1) Zona de Alta Performance: Aqui, apresentamos nossos  pico de engajamento e produtividade. Os  sentimentos mais comuns são os de  de energia, reciprocidade, respeito, encorajamento, admirador e admirado, feliz ,criativo , respeitado e confiante.
2) Zona de Recuperação: zona na qual nos sentimos calmos, tranquilos, felizes, em estados de flow; onde recarregamos as baterias , realizando atividades prazerosas e que nos deixam serenos.
3)Zona de Sobrevivência , aqui nos sentimos alertas , temerosos, frustrados, insatisfeitos defensivos, invejosos e impacientes. O medo de cometer erros é muito grande. Aparecem ainda sentimentos de inveja.
4)Zona de Burnout : Neste ponto, nos sentimos esgotados, desmotivados, com sentimentos de desesperança, falta de energia, incompreendidos, infelizes, cansados e por vezes, desesperados.

O desenvolvimento emocional saudável, nos encoraja a oscilar entre as duas primeiras zonas, de alta energia: As Zonas de Alta Performance e a Zona de Recuperação, onde nossa energia funciona de modo abundante.

Quanto mais tempo oscilamos entre as Zonas de Alta Performance e a de Sobrevivência, temos risco maior de passarmos para Zona de Burnout ! Quando operamos nessas zonas de baixa energia,  sentimos -nos frequentemente em déficit energético.

Ao realizarmos os diagnostico das zonas que estamos cabe as seguintes reflexões:

1 Como posso operar em zonas de Alta Performance?

2. Que atividades me deixam feliz, satisfeito, calmo, relaxado?

3. Como posso criar mais oportunidades de gerenciar o meu dia e estar mais tempo em zona de Recuperação?

3. Porque estou na Zona de Sobrevivência?

4. Como posso sair da Zona de Sobrevivência com 5 atitudes que dependem somente de mim?

5. Que outras pessoas exercem influencia para que eu saia da Zona de Sobrevivência? Liste pelos menos 5 pessoas

6. Que atitudes eu posso ter para efetivamente influenciar as pessoas da questão 5 para sair dessa Zona de Sobrevivência? Liste pelo menos 5,

7 . Como posso colocar em pratica HOJE e semanalmente os objetivos da questão anterior ate atingir a Zona de Alta Performance?

8. Como posso tornar meu desenvolvimento mais sustentável a médio e longo prazo?

9. Como posso contribuir para que meus pares operem em zona de alta performance também?

10. Como posso estar feliz TODOS os DIAS de formar simples e começando AGORA MESMO?  Liste 5 atitudes e pratique todos dias.

40 % de Nossa felicidade vem de atitudes que estão em nossas mãos, segundo pesquisas de Bem estar e Psicologia Positiva…. Estar bem, depende muito menos de circunstâncias externas do que imaginamos….

Um abraço

Leticia Rodrigues

 

 

 

 

O que voce sabe sobre voce e o que ainda não sabe: Autoconceito

O que voce sabe sobre voce e o que ainda não sabe: Autoconceito

Na jornada rumo ao autoconhecimento, nos deparamos com a noção de autoconceito. Você conhece esse termo? Já realizou sua avaliação para monitorar as dimensões do autoconceito?

Claramente o autoconceito passa pelas ideias  que você tem sobre voce, mas não apenas isso. O autoconceito engloba 4 dimensões muitos uteis para que você descubra mais ainda sobre seus pontos fortes, valores, e  ainda trace metas e objetivos.

As dimensões dos autoconceito são essas:

  1. Eu ideal: caraterísticas , competências e valores que gostaríamos de possuir, ou como gostaríamos de sermos vistos prelos outros
  2.  Eu percebido: como o individuo se percebe através de suas características, valores , aptidões . Pode ser dimensionado através de diferentes níveis de  intensidade .
  3.   Feedback: informações sobre o individuo que são percebidas pelo grupo  que seja relevante para o individuo. Os feedbacks são na minha opinião um  presente, pois podem reforçar pontos positivos que nem sempre são valorizados por nos mesmos.
  4.  Identidades Sociais: forma pela qual os indivíduos classificam a si e aos outros através de categorias sociais,como por exemplo: gênero, classe social, profissão, faixa etária.

Todas estas dimensões impactam diretamente na auto estima.  Auto estima,  é a  capacidade de estar  de acordo e agir em conformidade  com o  que se é, com aquilo que faz, com seu modo de ser, valores, percepções e atributos.

Quanto mais próximo seu autoconceito está de seu eu ideal, podemos considerar que a pessoa possui uma boa autoestima e vice versa…

O interessante de mapear estas quatro dimensões é que podemos facilmente traçar estrategias para alcançar objetivos alinhados com o eu ideal , aumentando ainda mais a autoestima. Há casos em que o mapeamento permite identificar a necessidade de desenvolvimento de novas competências, como no caso de mudanças de posição ou de identidade social, por exemplo.

Tanto o Coaching quanto a Psicoterapia são processos interessantes para elevar a autoestima, porém suas indicações são  muito especificas para cada individuo, que podem ser avaliadas por um profissional psicologo.

 

 

Como acabar com a motivação de uma equipe

Como acabar com a motivação de uma equipe

Sendo empreendedor , colaborador, ou ambos, (rsrs) , voce certamente já ouviu falar nos riscos da desmotivação no contexto das organizações. Mas voce sabe quais são os fatores de maior impacto na motivação de times?

Podemos entender a motivação organizacional como a força motriz de uma empresa para alcançar seus objetivos e resultados. Um time engajado, traz aumento de performance, diferencial competitivo e ambiente organizacional saudável.

Pessoas desengajadas chegam a reduzir entre 30 a 80 % sua energia no trabalho, além de impactar os demais. Os danos , se traduzem pelo  aumento de turnover, dificuldade na  retenção de talentos , diminuição da criatividade na execução das atividades  e aumento do numero de afastamento por motivos de saúde.

Sendo assim, como podemos atuar na motivação dos funcionários, e deixa los engajados e competitivos?  Um bom começo  é  compreender o que é a motivação organizacional e quais os principais  fatores que mais impactam na   desmotivação dos profissionais:

1.A motivação do time  está ligada a satisfação dos colaboradores

A motivação é a  força para ação, busca para um dado comportamento. A empresa que não zela pela satisfação de seus funcionários e olha somente para seus clientes, fatalmente sofrerá com o desengajamento quando precisar de sua equipe para executar seus planos e metas.

2. Compreender que motivação de membros de uma equipe podem ser totalmente diversos

Estudos  revelam que há  diferentes fatores que impactam na   motivação  de membros de um mesmo time. Há pessoas que se motivam por dinheiro , participação nos lucros ou bônus. Outras sentem a necessidade de  reconhecimento, e há ainda as que se motivam diante de metas difíceis, ou desafiadoras, como novas funções , metas, enquanto que outras são motivadas por sentirem que seu trabalho tem um forte impacto social.

O importante é estar atento para que a empresa tenha estratégias de reconhecimento assertivos, dentro de seu planejamento estratégico, com o objetivo de contemplar a todos.

3. A rotina pode ser fatal

Não importa se o segmento de atuação da empresa, propicia  um ambiente mais organizado ou disruptivo. A rotina é importante para balizar ações e viabilizar  resultado. Entretanto, pessoas que não se sentem desafiadas, tendem a se tornar desmotivadas por estarem sempre na zona de conforto.

É muito comum que a empresa busque sanar esse déficit através de metas cada vez mais altas, mas não se trata apenas disso:   aprender algo novo é  um dos maiores motivadores que existem  . Pessoas que não são incentivadas a inovar, a assumir novas posições e desafios, tendem a se tornar desmotivadas.

4. Falhas no recrutamento interno

Pessoas gostam de se sentir valorizadas e isso é regra! Cada vez que o recrutamento busca fora da empresa alguém para uma função , isso desmotiva o pessoal interno. O ideal é que valorize-se os membros que já fazem parte do quadro da empresa, ou ainda que se inicie o recrutamento internamente para aí sim, começar a recrutar externamente.

O mesmo ocorre quando sempre as mesmas pessoas são chamadas para as mesmas funções.  Realizar um rodízio de funções é uma excelente forma de engajar profissionais e incentivar o aprendizado de novas competências.

5. Comunicação clara

Entender o propósito de um negocio e o impacto que cada ação tem em um resultado maior, traz ao colaborador a sensação de pertencimento. É isso que o fará se sentir como parte de um time, de uma família, de algo maior.

Invista no alinhamento frequente de expectativas, abra canais de comunicação com seu pessoal, peça e de feedbacks assertivos.

Para finalizar, o investimento em pessoas é o caminho mais desafiador que uma empresa escolhe, mas certamente é o mais recompensador, tanto do ponto de vista financeiro, quanto na criação de um legado junto aos seus colaboradores que impactará em ultima analise, o cliente final  e assim todo o negocio.

Vale a pena…

Um abraço

Leticia Rodrigues

 

A resiliência te levará ao topo!

A resiliência te levará ao topo!

Há algumas décadas, o termo resiliência, emprestado do mundo da física, passou a ocupar um lugar de destaque em discussões sobre  o mundo corporativo e organizacional, o universo da  psicologia  e da administração e agora com o reconhecimento do importância  da  inteligência emocional como diferencial competitivo.

Resiliência  pode ser entendida , como a capacidade de um corpo de conservar suas propriedades mesmo após ser submetido a pressões externas, mantendo seu aspecto original, mesmo após sofrer deformações.Metaforicamente, resiliência é a capacidade que as pessoas tem  de se mostrarem competentes , mesmo quando são submetidas à adversidades.

Esta habilidade, torna-se cada vez mais necessária  especialmente em um mundo altamente volátil e incerto como o atual, de mudanças cada vez mais rápidas.

Em certa medida, todos nós somos considerados resilientes. O que talvez mude, seja a rapidez em que nos recuperamos diante de um bloqueio ou uma adversidade. Ou ainda: a forma como recebemos estas adversidades tem um impacto direto na resolução de problemas e na criatividade para enfrentar o dia a dia…

Ao contrario do que possa parecer, dentro  de infinitos padrões , pessoas são submetidas a revezes, pressões e adversidades diariamente. Mas após passarem por estas crises, voltam ainda melhores que antes.

A diferença principal parece estar no foco em valores e crenças que transcendem o cotidiano das dificuldades. É como se o objetivo final, fosse maior que qualquer adversidade. Esta mudança de paradigma, faz com que a crise seja vista com otimismo e facilita sua resolução.

É como se  um circulo virtuoso se formasse: as dificuldades surgem, são vistas como obstáculos temporários e o foco no propósito permanece. Com uma visão otimista nossa capacidade de encontrar soluções fica aumentada,   ampliando assim  os recursos internos que e nos capacitam a lidar com as adversidades.  O futuro, também se torna, mais promissor, através da experiência é possível antecipar crises e portanto, atuar na gestão de risco.

Percebemos ainda que por essa razão as pessoas resilientes são mais gratas, tem mais disposição para ajudar e desenvolvem um sentimento de compaixão, o que gera também nos outros uma reciprocidade em relação a elas, aumentado sua influência e por sua vez , sua rede de apoio.

O inverso por sua vez, torna o cenário também mais difícil, quando somos impactado pela adversidade e ficamos imersos no problema, ao invés  de focar na solução, nosso tempo de recuperação é mais lento e as consequências podem ser mais desastrosas.

Assim ser resiliente torna-se um diferencial competitivo além de impactar positivamente sua vida e o ambiente ao seu redor. Logo profissionais resilientes são mais bem sucedidos, mais rentáveis e por sua vez mais valorizados pelas empresas.

Você se considera resiliente? As pessoas resilientes:

1 Aceitam os fatos como são
2 Pensam no propósito de sua vida como foco
3  Utilizam a Criatividade e inovação para lidar com os desafios

A principal conclusão  é que nosso poder diante das dificuldades através de atitudes positivas ou negativas,  tem um impacto muito maior nos resultados,   do que as circunstâncias sob  as quais estamos submetidos.
Voce consegue perceber isso em sua vida? Qual sua opinião?

Mande uma mensagem para conversarmos sobre esse assunto, que tal?
Um abraço carinhoso
Letícia Rodrigues

Nossos comportamentos são influenciados por nosso mindset

Nossos comportamentos são influenciados por nosso mindset

Pare e pense agora!!!! Tudo o que você faz, fará ou deixa de fazer é totalmente influenciado e porque não dizer, ditado por seu mindset! É o que é isso????
O mindset é o conjunto de crenças e pensamentos conscientes ou não que temos sobre tudo o que nos deparamos na vida.

Quer um exemplo? Você gosta de falar em público?Se você respondeu que sim, provavelmente se considera um orador no mínimo razoável e tem essa opinião baseado em todas as suas experiências anteriores com o tema !
Agora se você respondeu que não, muito provavelmente você não tem um repertório positivo nesse assunto e evita se expor em situações assim, porque se considera tímido ou algo parecido, certo?

A questão é que nosso mindset influencia nossos comportamento e reforça nosso repertório e aí que mora o perigo!!! Se eu não tenho plena noção desses padrões, de forma a traze-los para a minha consciência, acabo repetindo tudo de forma inconsciente e sem possibilidade de analise.

E como eu consigo mapear meu mindset? Observe hoje o que te incomoda e veja o porque você ainda não consiguiu mudar certos comportamentos. Vamos iniciar por esses comportamentos que nos incomodam porque é muito mais fácil encontrar motivação no que nos causa algum tipo de prejuízo.

Os padrões negativos que você  tem,  provavelmente são mantidos graças a uma  crença que mantem isso atuante. São as chamadas crenças limitantes. ” Isso não é para mim”, “sou muito velho para isso”, “não tenho talento nessa área”, “acho que o problema não é meu” ” são os outros que devem se adequar”, são exemplos de crenças limitantes que mantem padrões repetitivos.

Tudo se modifica quando eu mudo primeiro a minha forma de pensar: Será que mesmo não sendo tao bom posso aprender? ” Posso tentar de forma diferente”, “Será que posso ser parte da solução do problemas, mesmo ele não sendo meu?” Quando mudo a minha forma de pensar, começo a enxergar um leque de possibilidades para fazer acontecer. Começo inclusive a considerar a possibilidade de fazer algo que nunca fiz e assim, tenho a oportunidade de construir novos repertorio  e atingir resultados diferentes.

Ficou afim de tentar? Lembre-se que quanto  mais consciência,  maiores são as  possibilidades de mudar comportamentos .Então invista em seu autoconhecimento.  Vamos conversar? Estou te esperando…..

Um abraço

Leticia Rodrigues

.

 

O sucesso é resultado de talento, esforço ou pura sorte?

O sucesso é resultado de talento, esforço ou pura sorte?

Se voce tivesse a oportunidade de ter um desejo atendido pelo gênio da lâmpada do Sucesso o que voce escolheria: ter um talento nato para os negócios como o lobo de Wall Street ou Michael Jordan para o basquete, ou ser disciplinado o suficiente para atingir o que quisesse a partir de seu    esforço ou ainda que a sorte lhe sorrisse lhe trazendo tudo isso como em um passe de mágica?  Ficou na duvida? Então vamos analisar como a   Carol Dweck, autora do livro Mindset responde a essa pergunta……… um dos melhores livros que li até hoje.

Passeando pelo universo dos negócios, esportes e dia -dia dos relacionamentos pessoais,  Dweck  busca explicar o poder das crenças pessoais e seus efeitos em alcançar objetivos, e na forma de atingi-los e que a mudança nessas crenças pode produzir efeitos profundos.

Observando crianças diante de jogos e desafios, percebeu que algumas se entusiasmavam diante dos desafios e se motivavam a superá-los, ao passo que outras se sentiam desmotivadas a medida que os desafios se tornavam mais difíceis.

A diferença principal é que para um determinado grupo, os desafios eram oportunidades de aprendizado à medida que precisavam se esforçar mais para encontrar as soluções. Ao passo que, para o segundo grupo, a inabilidade de resolver os desafios, corroborava uma verdade imutável: mostravam que não eram suficientemente inteligentes para determinada tarefa.

O resultado é que o primeiro grupo considerava o esforço como parte do processo de aprendizado e como consequência do desenvolvimento pessoal, enquanto que o segundo grupo se desmotivava a medida que o fracasso era um indicativo de uma falha pessoal que não poderia ser superada.

Assim, há dois tipos de Mindset : o fixo e o de crescimento. No mindset fixo, as características como inteligência e aptidões são predeterminadas ao passo que no segundo, de crescimento, o esforço e o desenvolvimento contínuo são mais importantes para atingir objetivos ou desenvolver habilidades.

As consequências disso são que no mindset fixo, o erro ou o fracasso são vistos como permanentes e muitas vezes determinantes.  Fatores como sorte e acaso também assumem  o protagonismo nesse tipo de mentalidade .Dessa forma, pessoas como esse tipo de mindset tem uma tendência a evitar erros, e serem demasiadamente preocupadas em provar seu valor constantemente e a mudar de modo definitivo com o fracasso.

Ao contrário, as pessoas de mindset de crescimento tem prazer no aprendizado e valorizam o esforço. É claro que as de mindset fixo também percebem o valor do esforço, mas tem uma tendência a busca-lo como forma de corroborar o que pensam sobre si mesmas: que são mais inteligentes ou diferentes da maioria por contar com determinadas habilidades.

Outras consequências são a forma de se relacionar com as adversidades que se apresentam: os de mindset de crescimento tem uma tendência a buscar soluções ao invés de focar em problemas, porque tendem a interpretar situações como sendo transitórias ao invés de encara-las sob uma perspectiva de permanência.

Por outro lado, as pessoas de mindset fixo, tem uma tendência a encarar fatos sob uma ótica mais determinante, o que impede muitas vezes que se arrisquem a fazer coisas diferentes ou enfrentar situações não planejadas.  Além disso, o fato de consideraram que pessoas possuem ou não determinadas características, são ou não capazes de fazer determinadas tarefas, funções e etc, rotulam a si mesmas , de modo permanente (seja de forma positiva ou negativa ) e rotula  pessoas de seu convívio diário.

Lidar com feedbacks também pode ser extremamente desafiador para pessoas de mindset fixo: é como se a critica colocasse em cheque todas sua habilidades, ao passo que pessoas de mindset de crescimento tendem a focar no lado positivo das criticas úteis e a partir dai trabalharem em busca de resultados melhores.

A autora amplia esse conceito através de diversos exemplos no meio acadêmico, esportivo, corporativo e pessoal, justiçando que no a  mindset fixo, há uma tentativa de proteger  uma posição  de superioridade , onde dificuldades e feedbacks de melhoria são ignorados , trazendo consequências desfavoráveis e  até mesmo desastrosas

Ao contrario, no mindset de crescimento, há uma preocupação constante com melhoria de processos e o aperfeiçoamento continuo, além do fato de encara as sugestões de melhora, como um presente, trazendo resultados ainda melhores.

Apesar de constantemente oscilarmos entre os dois tipos de pensamento, as vantagens de pensar em termos de mindset de crescimento são claras: encarando mudanças como oportunidades de melhoria,  propicia que voce a traga para o seu controle interno, trazendo para si a responsabilidade da mudança: de que forma sou responsável por isso? Como posso fazer diferente para obter melhores resultados? Onde posso obter mais informaçõ sobre isso? Quem pode me dar mais dados?

Responsabilizando-se por seus resultados, voce fatalmente persistirá na dificuldade, aprenderá com os obstáculos e atingirá  altos níveis de conquistas como se tivesse talentos inatos. Pense nisso…..

Um abraço

Leticia Rodrigues15:55:16