Compartilhe:

A jornada do autoconhecimento é uma viagem marcada por muitas descobertas: algumas são doces, como descobrir qualidades, forças e talentos, tão importantes para nossas conquistas do dia-dia. Outras, por sua vez, revelam algo no mínimo curioso: que somos nós mesmos capazes de atrapalhar o próprio caminho. É o chamado estranho que habita em nós.

A boa notícia é que tudo pode ser revertido, afinal, se tem realmente algo que podemos mudar é a nós mesmos e assim tornar esse estranho, cada vez mais familiar.

E como ele acontece na pratica? Vejamos algumas formas de autossabotagem: 

  1. Se frustrar por aquilo que não podemos controlar: Como já dito anteriormente, só podemos mudar a nós mesmos, assim, se você não pode resolver algo com nenhuma AÇÃO efetiva, infelizmente isso NÃO está ao seu alcance. É aquela frase: o que não tem remédio, remediado está.
  2. Racionalizar seu desejo com justificativas sociais: É dizer para si mesmo que não há nada a ser feito, que  as coisas sempre ocorreram de determinada forma (quando justificamos a corrupção, por exemplo),  ou  que  está em uma idade onde não poderá fazer mais determinada coisa, ou ainda  já escolheu  um certo caminho há muito tempo e que não poderá voltar atrás. 

      Mas será realmente assim?  Fica a pergunta……

3.Deixar de fazer o que quer baseado no MEDO da crítica:  Essa é bem comum né? Eu mesma deixei de fazer muitas coisas baseadas nas expectativas alheias e o resultado foi muita frustração por aqui.

Uma das formas de contornar essa situação é pensar que devemos direcionar nossas escolhas para nossos objetivos e não o contrário. Se é o seu medo é não seu desejo que te controla, algo está muito errado…


4. Justificar nossas ações pelo comportamento dos outros: Essa é a clássica quando estamos sobre efeito de sentimentos de impulsividade, raiva ou necessidade de aceitação do grupo, por exemplo:

“Fiz isso porque fulano fez aquilo para mim “

“Se todos fazem, eu também posso fazer “

  1. Fazer algo que sabemos que não deve ser feito e ficar mal depois: É a famosa ressaca moral: exagerar nos doces, faltar na academia, discutir com alguém , dirigir em alta velocidade no trânsito, enfim, diferentes comportamentos que já cansamos de ter e ver que as consequências são desagradáveis, mas mesmo assim teimamos em repetir.

 

Mas porque isso acontece, gente?

Bom, esses comportamentos de autossabtagem foram aprendidos em algum momento de nossa vida e já tiveram lá suas funções, principalmente de proteção.

Isso explica por exemplo, o medo que temos de fracassar. Fomos ensinados a valorizar o acerto, o sucesso, mesmo desconsiderando que toda tentativa, está sujeita a erro e é justamente ai que surge o aprendizado.

Tá, mais isso não explica o porquê mantemos determinados comportamentos, mesmo quando sabemos que é prejudicial, certo?

Sim, mas a explicação para isso é que muitos dessas crenças e comportamentos, frequentemente, não são identificados para serem modificados. E é por isso que o autoconhecimento se torna tão importante para realizar as mudanças necessárias

Mas a segunda razão pela qual mantemos esse comportamento, é que temos muitos benefícios secundários agindo dessa forma. 

Por exemplo: se manter em um relacionamento tóxico ou improdutivo traz uma série de malefícios, certo? Ao mesmo tempo, nos mantem em uma zona de conforto. Logo, abandonar tais comportamentos exige uma mudança de atitude e uma boa dose de coragem.

Que tal se você identificasse agora esses comportamentos de autossabotagem e procurasse identificar aqueles que você tem com mais frequência?

Investir em autoconhecimento é uma ferramenta poderosa para que você faça escolas mais assertivas.

Comente aqui o que achou dessa conversa e bata um papo com seu estranho. Quem sabe assim, ele te conta coisas muito bacanas sobre voce mesmo.

Até breve!

 


Compartilhe: