Compartilhe:

Esse  post surgiu de uma bate papo com uma amiga muito querida que dizia que as pessoas ao redor dela a acusavam de não se” dar” o devido valor. Daí ela ficou questionando: Mas eu acredito que me dou sim o valor, o que é esse tal de   “se dar valor ” ?

Daí resolvi pensar um pouco no assunto e tentar esclarecer alguns pontos que me pareceram pertinentes à noção de autoestima e valor .

A autoestima se constrói ao longo do tempo baseada principalmente nas crenças que temos sobre nós mesmos. Quando pensamos um pouco naquilo que somos, quais são os sentimentos que possuímos sobre nossa pessoa? O que considero que sei fazer bem feito? No que de fato sou bom ou ainda: no que definitivamente eu não sou? Sim, caro leitor (a), um dos modos de compreendermos sobre nós mesmos, pode ser através daquilo que não sou, não faço e não negocio.

Dessa forma, nos deparamos com o segundo construtor de nossa autoestima: Os valores. Valor é tudo aquilo que independentemente da  situação, eu não negocio de jeito nenhum. Esses valores também definem sobre quais pilares eu pauto  minha vida e qual  legado pretendo construir através dela.

Tendo esta noção clara de crenças e valores, eu posso ter condições mais efetivas de avaliar se meu trabalho , por exemplo,  está em alinhamento com meus valores, ou  se a empresa para qual eu trabalho faz eco a pontos importantes que pautam o modo como eu gostaria de contribuir com a sociedade, já que trabalhamos para nós e também para os outros.

O mesmo vale para minha família, parceiro(a) e amigos. É importante pensar qual o meu papel diante dessas pessoas. O que eu agrego de valor , o que eu posso ensinar e aprender com estas pessoas que me cercam.

É natural que após algum tempo, mudanças nesses relacionamentos possam ocorrer, porque da mesma forma que evoluímos através de experiências , as pessoas de nosso convívio também mudam de opiniões e atitudes, e passam a viver muitas vezes em desacordo com aquilo que acreditamos.

Entretanto, o respeito mútuo deve ocorrer sempre. Só assim, eu consigo me relacionar com pessoas muitas vezes tão diferentes de mim, sem transigir com aquilo que prezo e também compreender que do mesmo modo que eu ajo, o outro também está em seu caminho de aprendizado constante.

Quando percebo que estou atuando de modo alinhado aos meus valores e  os mantenho  intactos, posso afirmar que estou de acordo com meus princípios e me dando o valor. Da mesma forma, o outro perceberá que tenho coerência nas minhas atitudes , ações e pensamentos e certamente me reconhecerá por agir de modo tão genuíno com aquilo que acredito. Isso é chamado de reconhecimento ou sucesso e assim dizemos: Fulano é um sucesso !

 O sucesso pessoal se relaciona com a nossa satisfação plena de estarmos fazendo o melhor em diversos aspectos de nossa vida e isso está diretamente ligada a satisfação de valores internos. O reconhecimento, ocorre quando o outro ou a sociedade validam nossa atitude e nos devolvem reforçando uma atitude que inevitavelmente é primeiro interna e só depois é vista “por fora”.

Assim, termino sugerindo que a gente consiga clarear quais são os nossos valores importantes e  refletir como vai a nossa autoestima. Dessa forma, certamente os comentários de fora terão um impacto mais adequado cada vez que formos capazes de perceber se estamos alinhados aos nossos objetivos e propósitos.

Um abraço

Leticia Rodrigues

imagem@poemahitmoda

www.fiorireconsultoria.com.br


Compartilhe: